Enquete

Você se sente ou já se sentiu assediado moralmente no banco?

Santander responde por assédio moral

Tramita na 3ª Vara do Trabalho de Brasília uma ACP (Ação Civil Pública) com abrangência nacional contra o Santander pela prática de assédio moral, submissão dos funcionários e metas. O pedido de indenização por dano moral coletivo é de R$ 460 milhões. Decisão judicial obriga o banco a apresentar as metas mensais de todos os trabalhadores da empresa entre os períodos de janeiro de 2015 a março de 2017. A primeira audiência acontece em 10 de maio.

As irregularidades foram apuradas pelo MTPS (Ministério do Trabalho e Previdência Social). O MPT também requisitou instauração de inquérito para a Polícia Federal investigar os crimes de lesão corporal, constrangimento e frustração de direito assegurado em lei trabalhista.

A intenção é garantir que os diretores do Santander e os demais responsáveis por condutas ilícitas sejam cobrados pelas atitudes. O sistema humilhante, de sobrecarga e constantes ameaças de demissões causam danos à saúde dos empregados. A estimativa de gastos do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) para trabalhadores adoecidos chega a R$ 90 milhões.

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia

Tags: santander

Voltar