Enquete

Você se sente ou já se sentiu assediado moralmente no banco?

Desconto da greve será pauta de reunião com Caixa

Banco fez desconto, apesar de liminar proibir

Em reunião nesta quinta-feira 25, em Brasília, a Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa vai negociar com a direção da empresa o não desconto da paralisação do dia 15 de março e da greve geral do dia 28 de abril, contra as reformas de Temer e o desmonte dos bancos públicos, que contaram com grande adesão dos empregados do banco.

O movimento sindical já conseguiu liminar na Justiça impedindo o desconto até que ele seja negociado com os trabalhadores. Apesar disso, o banco fez o desconto. Será cobrada a reversão do dia descontado no salário dos trabalhadores, já que existe liminar a favor. Além disso, a greve é prevista por lei e os bancários não podem sofrer retaliações por terem lutado por seus empregos e direitos.

Outro problema que será debatido é o descomissionamento de bancárias em licença maternidade, previsto na nova versão da RH 184, implementada em 9 de maio. Além de outras alterações que não foram negociadas com o movimento sindical.

Também estão na pauta da mesa de negociação o processo de verticalização nas agências, prevendo que para manter suas funções, o gerente PJ terá que ter uma carteira de pelo menos 300 contas qualificadas e o gerente PF carteira com 900 contas qualificadas, ou seja, contas com clientes de alta renda, que não correspondem ao caráter social que o banco público desempenha. Além disso, será discutido o projeto de reestruturação, com fechamento de agências e retirada de funções.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, a Caixa extinguiu 4.320 postos de trabalho em apenas quatro meses (janeiro a abril deste ano).

Outros pontos da pauta serão: pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) pelo lucro líquido recorrente; volta dos Processos Seletivos Internos (PSIs); o pagamento correto das horas extras com adicional de 100% para o trabalho aos sábados e o descumprimento pelo banco do compromisso de informar aos sindicatos as agências que iriam abrir no final de semana, assumido junto à Procuradoria Regional do Trabalho; e Sistema de Ponto Eletrônico (esclarecimento sobre a retirada do aplicativo que impedia irregularidades na marcação do ponto).

Com informações: sindicato dos Bancários de São Paulo
Foto: Mauricio Morais

Tags: caixa

Voltar